bons ares de buenos aires

♫ Omara Portuondo | La Sitiera

Apesar da rivalidade no futebol, Buenos Aires se tornou um vizinho muito querido pelos brasileiros. A cidade inteira foi construída por arquitetos franceses ou italianos, o que faz da cidade um pedacinho da Europa na América do Sul. O clima também lembra muito o do velho continente e a gastronomia é tão elegante quanto a de Paris. Se você tiver sorte, consegue pegar uma câmbio bastante favorável. Quando fui, em outubro do ano passado, consegui trocar 1 real por quase 4 pesos argentinos. Pelo cartão de crédito, o câmbio ficou 1 para 2, metade do que eu conseguia em trocas mais favoráveis. Aprendi que da próxima vez compensa levar o máximo que eu conseguir em cash. O dinheiro rende muito mais. Fiquei hospedada em um studio na Recoleta alugado pelo Air B&B (ótimo lugar), mas quero ficar em Palermo Soho na próxima visita. A vida noturna de lá é bem mais agitada, fora que o bairro é muito charmoso e me lembra Portobello Road.

photo1

photo2

photo3

photo4

photo5

Aqui embaixo faço uma lista dos meus lugares preferidos:

❤ Virasoro Bar (Guatemala 4328) – estabelecimento minúsculo, com um palco apertado e umas cinco mesinhas para os clientes. À noite, o jazz é pesado e não fica atrás do que eu vi em Paris. Acho que este é meu lugar preferido de toda Buenos Aires.

❤ Winery – rede de lojas de vinho espalhada pela cidade inteira. Vários rótulos disponíveis por preços bem acessíveis. Vale passar por lá antes de voltar para o Brasil!

❤ Feira de San Telmo – feirinha de antiguidades que acontece aos domingos no bairro de San Telmo. Os preços são meio salgados, mas não custa nada pechinchar.

❤ Feira da Plaza Serrano – apesar de bem menor do que a de San Telmo, achei essa feira muito melhor que a outra. Primeiro que rola no sábado em Palermo Soho, bairro super descolado, cheio de lojinhas legais e restaurantes cool. Segundo que os preços são mais humanos. As mina pira com as roupas e as pulseiras. Aproveite o passeio para passar pela próxima sugestão.

❤ Miles Discos (Honduras 4969) – loja de vinil em Palermo cheia de raridades. É interligada com um restaurante lindo, com poltronas espalhadas e mesinhas no jardim. Por essas e outras que eu moraria fácil em Buenos Aires.

❤ Mundo Bizzaro (Serrano 1222) – bar burlesco andivinhe onde? Palermo, claro!

❤ Restaurante do Museu Evita (Juan María Gutiérrez 3926) – como é lindo… acho que é um dos melhores restaurantes que já fui na vida. Em qualquer outro lugar do mundo seria o olho da cara, mas a melhor parte de Buenos Aires é isso. A gente fica rico lá, rs. Como é gostoso sentar em uma mesinha na parte externa do restaurante, cercada de flores, e ter uma refeição lenta e completa.

❤ La Cabrera (José Antonio Cabrera 5099) – e já que estamos falando de restaurantes inesquecíveis, o La Cabrera tem a parrilla mais famosa da cidade e não é à toa. A carne é deliciosa e vem acompanhada de diversas guarnições (você pode escolher quantas quiser!). Como a procura é grande (por turistas e portenhos), faça uma reserva para não perder a viagem.

❤ Malba – o Museu de Arte Latino-americana é único. Talvez por esse tipo de arte, apesar de influenciada pelas vanguardas européias, ter características bem distintas das que estamos acostumados a ver nos outros museus famosos. Prepare-se para uma explosão de cores, obras que beiram o cafona e outras tão bonitas e sinceras que dão vontade de chorar. Sério. Não tem como não se emocionar ao ver uma tela da Frida Khalo bem na sua frente. Depois disso, emende uma visita ao restaurante do local. Fino e, para nós, barato.

❤ Café Tortoni (Av de Mayo 825) – Confeitaria Colombo dos argentinos, com arquitetura antiga e suntuosa. Peça churros!

photo6

photo7

photo8

photo9

photo10

photo11

photo12

photo13

photo14

photo15

Buenos Aires é encantadora. Quando voltei, li toda a cartilha do Ministério das Relações Exteriores para brasileiros que desejam morar em países do Mercosul, rs. Já estou pronta para mudar! Só queria que essa crise econômica desse uma trégua. Dá para ver que os portenhos estão passando por uma fase bem difícil. Mas assim que melhorar, é para lá que eu vou!

Fotos: Caio Henrique Salgado, meu correspondente internacional 🙂

Advertisements