praça universitária, minha velha amiga

♫ Peter, Bjorn & John | Young Folks

nem toda hora
é obra
nem toda obra
é prima
algumas são mães
outras irmãs
algumas clima

Paulo Leminski

Praça Universitária tem clima de juventude, tanto pelo histórico (foi palco para tantas manifestações e reivindicações estudantis e sindicais) quanto pela localização: entre as duas instituições acadêmicas mais importantes do Estado (de um lado, PUC, do outro, UFG). Só isso já justificaria a grande concentração de jovens (falo como se eu já fosse idosa, né?) no lugar, mas a Praça tem seus charmes, a começar pelas esculturas expostas a céu aberto. Morei praticamente toda minha infância no setor e lembro quando instalaram as obras lá. Lembro de ir com a minha mãe visitar e de achar o máximo a escultura que parece uma mão gigante saindo da terra, rs.

A Praça Universitária fez muito parte da minha vida, principalmente quando eu acompanhava minha mãe, ainda estudante, à Faculdade de Arquitetura. Íamos e voltávamos à pé. E eu achava tudo grande e legal demais. Apesar das mudanças temporais do local, muita coisa bacana continua por lá. Além das esculturas (já foram observar cada uma atentamente?), tem o Palácio da Cultura, onde funciona a biblioteca Marietta Telles (aberta para o público em geral) e uma sala de exposições vinculada ao Museu de Arte de Goiânia (MAG), sempre com alguma coisa em cartaz. Nos arredores, tem o Museu Antropológico da UFG, que só funciona em horário comercial, de segunda à sexta, mas já está valendo.

Sei que a ciclovia que construíram liga nada a lugar nenhum, mas pelo menos já é um trecho reservado só para ciclistas, então temos que aproveitar. Vá de bike, namore nas sombras gostosas da praça e, depois do pôr-do-sol deslumbrante, uma cervejinha no Bar da Tia cai bem!

univers1

univers2

univers3

univers4

univers5

univers6

Advertisements