Mostra de cinema nórdico

stockholm_stories_poster

Quer um programão 0800 para os próximos dias? Anote então na agenda: Mostra de cinema nórdico do CCBB, que é gratuita e traz diversos filmes produzidos recentemente na Suécia, Finlândia, Noruega e Dinamarca. Com início nesta quarta-feira (23/11), a mostra dura até 5 de dezembro. Confira a programação completa aqui.

Da lista grande de filmes, selecionei seis que mais me animaram para compartilhar aqui: Não chore por mim (Suécia); Helsinque, para sempre (Finlândia); Histórias de Estocolmo (Suécia); Corações Valentes (Noruega); O Hotel (Suécia) e O Amante da Rainha (Dinamarca). A sinopse desses filmes estão no link da programação. Depois conto aqui o que achei dos filmes que eu assistir 🙂

Nos vemos lá?

Advertisements

programão: cine drive-in

♫ Cordel do Fogo Encantado | O amor é filme

cine drive-in

Recebi um convite inusitado para um sábado à noite esses dias: “Bora pro Cine Drive-in?” E eu, que estava esperando a vida me trazer uma surpresinha para o dia, aceitei o presente e fui, toda animada com oportunidade. Até o momento, eu era virgem de Drive-in, confesso. Estava um pouco nervosa, ansiosa… mas já tinha visto na televisão como era e me deixei levar pelo ritmo lento das coisas. A noite estava bonita, o parceiro era legal (amigo já de alguns anos, alguém que eu confiava), fomos devagar, respeitando o tempo de cada um (o nosso e o do cinema, no caso). Quando mal esperei, aquela sensação boa me invadiu e, de repente, fiquei apaixonada. Não quero mais saber de nenhum outro cinema. Só tenho olhos para o Drive-in ❤

O lance é que toda a atmosfera do lugar te envolve de tal forma que não tem como não se render aos encantos dele. Parece que, logo que se chega à entrada, se atravessa um portal que te transporta para um filme americano dos anos 80. “Você pode desligar o farol?”, pergunta o atendente. Ele cobra sua entrada e te dá um cardápio que, além de sanduíches e batata frita, tem cerveja! Cerveja no cinema! Fala sério… Só amor.

Adoro muito cinema. Desde pequena costumo acompanhar meus pais em sessões diversas, tanto em casa quanto em salas comerciais. Cresci vendo e imitando as travestis de Almodóvar (e como diz meu pai, por isso que me tornei essa menina saudável, engajada nas boas causas… hahaha); cresci frequentando mostras independentes, vendo filmes pesados (alô, Saló!) e comedinhas hollywoodianas também (ninguém é de ferro, rs). Na minha adolescência em Goiânia, rolava uma mostra muito legal chamada 8 pras 11 (oi, Hélio Neiva!), que começava a exatos 8 minutos para às 11h da noite e varava a madrugada com uns filmes difíceis de alugar por aí (na época, download era para poucos, rs). Essa mostra e outras que rolavam no Cine Ouro (cineminha pequeno do Centrão) moldaram meu caráter (que perigo!). Devo muito de quem eu sou hoje ao cinema ❤

Maaass… De uns tempos para cá, ando desgostosa de ir ao cinema. É sempre barulhento, cheio de pessoas que deixam o celular tocar nas horas inapropriadas, o espaço é pequeno (tenho 1,78m de altura. Preciso de espaço para as pernas!). Daí que ir ao Cine Drive-in me abriu todo um universo novo. Primeiro que, como cada um fica no seu carro, há uma privacidade sensacional! Você não escuta a conversa alheia e pode conversar à vontade sem se preocupar com o coleguinha do lado. Você regula a cadeira do carro do jeito que quiser e o áudio, que era uma dúvida minha com relação ao drive-in, é feito via rádio. Você tem que sintonizar na frequência deles lá e pronto! Som que você regula o volume 🙂 Muita qualidade de vida. Aí vem o plus… Tem lanchonete e garçom, que te atende quando você liga o farolete do carro, hahaha. O pedido chega na bandejinha, igual aos filmes americanos (só faltou o garçom atender de patins). E vamos só relembrar que tem cerveja! Sensacional.

E para quem ainda não assistiu ao filme da Anna Muylaert, Que horas ela volta?, com a Regina Cazé e a Camila Márdila, CORRÃO que ainda está em cartaz no Drive-in 🙂 A produção é muito foda (não vou ser spoiler. Só confia e vai lá ver) e está fazendo o maior sucesso aqui e lá fora. Os pais do meu padrasto, que moram no interior do interior da Suíça, assistiram o filme lá antes mesmo de chegar ao Brasil e ficaram encantados. Falaram bem, fizeram propaganda… Não pode ficar sem ver. Ganhou prêmio em Sundance e em Berlim. É cheio de discussões de classe na contemporaneidade, sem perder a questão humanista e afetiva. É tudo o que digo. Ó o trailer:

Bom filme! 🙂

Colá lá!
Cine Drive-in
Área Especial do Autódromo – Centro Desportivo Presidente Médice – Asa Norte
Ingressos:
De 2ª a 5ª – R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
De 6ª a domingo e feriados – R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia)

retrospectiva de Godard no CCBB

♫ Mutantes | Le premier bonheur du jour

godard

Godard é um cineasta polêmico. Ou se gosta, ou se detesta. Não que seus filmes tratem de assuntos que causem discordâncias (alguns sim, nem todos), mas porque alguns deles podem ser realmente difíceis de assistir. Difíceis no sentido de romper com aquilo que nosso cérebro espera de uma narrativa cinematográfica. Nosso olhar foi (e continua sendo) domesticado por Hollywood, que nos apresenta sempre fórmulas prontas, historinhas mastigadas e, claro, uma recompensa moral. Mas Godard, como um dos nomes do movimento Nouvelle Vague que rolou na França na década de 1960, buscava ir além da receita hollywoodiana uniformizada. Ele buscava um cinema de autor. E que autor! Junto com Truffaut – que também foi seu “coleguinha” de movimento -, Godard é um dos meus cineastas preferidos. Talvez eu tenha herdado isso de família… Quando eu era criança, tivemos um boxer durante anos que se chamava Jean-Luc Gordard. Godard, para os íntimos, rs.

Daí que agora, próximo à data que o cineasta completaria 85 anos, o CCBB realiza essa mostra que conta com produções diversas, algumas nunca antes exibidas no país. São Paulo e Rio também terão essa alegria de viver até fins de novembro. De toda a programação, que pode ser conferida abaixo e também no site do CCBB (lá tem as sinopses!), eu destacaria Acossado, de 1959 (passou ontem, na abertura da mostra, e não vai repetir mais… Nem tudo é perfeito…); Uma mulher é uma mulher, de 1961 (passa hoje às 19h! CORRÃO!); Alphaville, de 1965 (um clássico; também passa hoje às 21h); Uma mulher casada, de 1964; e Adeus à linguagem, último filme dele, lançado em 2014. O mais incrível é que a maioria das exibições será em película! E os ingressos custam só R$ 4. É muita emoção ❤

Bora lá treinar o francês e discutir alguns temas que ele traz em suas obras! Aliás, amanhã tenho prova de francês e vai ser bom dar uma praticada na escuta hahaha. Feminismos, conspirações, liberdades podadas… Até o fim da mostra, teremos muitos assuntos interessantes. Godard est très super! On y va?

acossadoCena de Acossado (1959)

Programação
>> 21 de outubro – quarta-feira
19h Deux ou trois choses que je sais d’elle (Duas ou três coisas que eu sei dela)
21h À bout de souffle (Acossado)

>> 22 de outubro – quinta-feira
19h Une femme est une femme (Uma mulher é uma mulher)
21h Alphaville. Une étrange aventure de Lemmy Caution (Alphaville)

>> 23 de outubro – sexta-feira
19h Une femme coquette (Uma mulher faceira)
19h Vivre sa vie (Film en douze tableaux) (Viver a vida)
20h50 Le mépris (O desprezo)

>> 24 de outubro – sábado
17h Les carabiniers (Tempo de guerra)
17h Le petit soldat (O pequeno soldado)
20h45 Pierrot le fou (O demônio das onze horas)

>> 25 de outubro – domingo
17h Masculin féminin. Quinze faits précis (Masculino, feminino)
19h15 Made in USA
21h Opération béton (Operação concreto)
21h Tous les garçons s’appellent Patrick (Charlotte et Véronique) (Todos os rapazes se chamamPatrick (Charlotte et Véronique))
21h Une histoire d’eau (Uma história de água)
21h Charlotte et son Jules (Charlotte e seu namorado)

>> 26 de outubro – segunda-feira
19h Pierrot le fou (O demônio das onze horas)
21h15 Les carabiniers (Tempo de guerra)

>> 28 de outubro – quarta-feira
19h Le mépris (O desprezo)
21h Vivre sa vie (Film en douze tableaux) (Viver a vida)

>> 29 de outubro – quinta-feira
19h Deux ou trois choses que je sais d’elle (Duas ou três coisas que eu sei dela)
20h50 One plus one (Um mais um)

>> 30 de outubro – sexta-feira
19h Ciné-tracts (Cine-panfletos)
19h Pravda
21h Le grand escroc (O grande trapaceiro)
21h Le nouveau monde (O novo mundo)
21h Montparnasse – Levallois. Un action film (Montparnasse – Levallois. Um filme-ação)
21h L’amore (O amor)

>> 31 de outubro – sábado
17h La chinoise (A chinesa)
19h Week-end (Week-end à francesa)
21h Le gai savoir (A gaia ciência)

>> 1º de novembro – domingo
17h Un Film comme les autres (Um filme como os outros)
19h Une femme mariée (Uma mulher casada)
20h50 Anticipation ou L’amour en l’an 2000 (Antecipação ou o amor no ano 2000)
20h50 Bande à part (Banda à parte)

>> 2 de novembro – segunda-feira
18h30 La paresse (A preguiça)
18h30 Vent d’est (Vento do leste)
20h40 Letter to Jane: An Investigation about a Still (Carta para Jane)
20h40 British Sounds

>> 4 de novembro – quarta-feira
19h Le Gai Savoir (A gaia ciência)
21h Week-end (Week-end à francesa)

>> 5 de novembro – quinta-feira
10h Curso com João Lanari
19h Une femme mariée (Uma mulher casada)
21h La Chinoise (A chinesa)

>> 6 de novembro – sexta-feira
10h Curso com João Lanari
19h Vladimir et Rosa (Vladimir e Rosa)
21h Luttes en Italie (Lutas na Itália)

>> 7 de novembro – sábado
17h Tout va bien (Tudo vai bem)
19h Caméra-oeil (Câmera-olho)
19h Ici et Ailleurs (Aqui e acolá)
20h30 Clip Faut pas rêver / Quand la gauche aura le pouvoir (Quando a esquerda chegar ao poder)
20h30 Numéro deux (Número dois)

>> 8 de novembro – domingo
17h Comment ça va? (Como vai você?)
19h Sauve qui peut (la vie) [Salve-se quem puder (a vida)]
21h Passion (Paixão)

>> 9 de novembro – segunda-feira
19h Scénario de Sauve qui peut (la vie) (Roteiro de Salve-se quem puder (a vida))
19h Passion, le travail et l’amour: introduction à un scénario, ou Troisième état du scénario du film Passion (Paixão, o trabalho e o amor: introdução a um roteiro, ou Terceiro estado do filme Paixão)
19h Scénario du film Passion (Roteiro do filme Paixão)
21h Lettre à Freddy Buache. À propos d’un court-métrage sur la ville de Lausanne (Carta a Freddy Buache. Sobre um curta-metragem a respeito da cidade de Lausanne)
21h [Espoir/Microcosmos] (Esperança/Microcosmo)
21h Pour Thomas Wainggai (Por Thomas Wainggai)
21h L’enfance de l’art (A infância da arte)
21h Soft and Hard

>> 11 de novembro – quarta-feira
19h Numéro deux (Número dois)
21h Tout va bien (Tudo vai bem)

>> 12 de novembro – quinta-feira
19h Passion (Paixão)
21h Sauve qui peut (la vie) [Salve-se quem puder (a vida)]

>> 13 de novembro – sexta-feira
18h50 France tour détour deux enfants (episódios 1 a 4)
20h50 France tour détour deux enfants (episódios 5 a 8)

>> 14 de novembro – sábado
15h France tour détour deux enfants (episódios 9 a 12)
17h Histoire(s) du cinéma (História(s) do cinema) (episódios 1A e 1B)
19h Debate com Alex Vidigal e Pablo Gonçalo

>> 15 de novembro – domingo
17h Histoire(s) du cinema (História(s) do cinema) (episódios 2A, 2B e 3A)
19h Histoire(s) du cinema (História(s) do cinema) (episódios 3B, 4A e 4B)
20h50 Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre e sob a comunicação) (episódios 1A e 1B)

>> 16 de novembro – segunda-feira
18h50 Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre e sob a comunicação) (episódios 2A e 2B)
20h50 Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre e sob a comunicação)(episódios 3A e 3B)

>> 18 de novembro – quarta-feira
18h50 Six fois deux (4A e 5B) Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre esob a comunicação) (episódios 4A e 4B)
20h50 Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre e sob a comunicação)(episódios 5A e 5B)

>> 19 de novembro – quinta-feira
18h50 Six fois deux (Sur et sous la communication) (Seis vezes dois: sobre e sob a comunicação)(episódios 6A e 6B + episódio cortado)
21h10 Prénom Carmen (Carmen de Godard)

>> 20 de novembro – sexta-feira
19h Petites notes à propos du film Je vous salue, Marie (Pequenas notas sobre o filme Eu vos saúdo, Maria)
19h Je vous salue, Marie (Eu vos saúdo, Maria)
21h Détective (Detetive)

>> 21 de novembro – sábado
17h Dans le noir du temps (No breu do tempo)
17h Ecce homo (Eis o homem)
17h Moments choisis des Histoire(s) du cinéma (Momentos escolhidos de História(s) do cinema)
19h Meetin’ WA (Encontrando WA)
19h Puissance de la parole (Potência da palavra)
19h Le rapport Darty (O relatório Darty)
19h Grandeur et décadence d’un petit commerce de cinéma révélées par la recherche des acteurs dans un film de télévision publique d’après un vieux roman de J. H. Chase (Grandeza e decadência de um pequeno negócio de cinema reveladas pela pesquisa dos atores em um filme de televisão pública segundo um velho romance de J. H. Chase)

>> 22 de novembro – domingo
17h Je vous salue, Sarajevo (Eu vos saúdo, Sarajevo)
17h For ever Mozart (Para sempre Mozart)
18h45 JLG/JLG. Autoportrait de décembre (JLG/JLG: autorretrato de dezembro)
18h45 2×50 ans de cinéma français (2×50 anos de cinema francês)
18h45 Adieu au TNS (Adeus ao TNS)
18h45 Publicidades
18h45 Les enfants jouent à la Russie (As crianças brincam de Rússia)

>> 23 de novembro – segunda-feira
19h Changer d’image. Lettre à la bien-aimée (Mudar de imagem. Carta à bem-amada)
19h King Lear (Rei Lear)
21h Grandeur et décadence d’un petit commerce de cinéma révélées par la recherche des acteurs dans un film de télévision publique d’après un vieux roman de J. H. Chase (Grandeza e decadência de um pequeno negócio de cinema reveladas pela pesquisa dos atores em um filme de televisão pública segundo um velho romance de J. H. Chase)

>> 25 de novembro – quarta-feira
17h50 Soigne ta droite ou Une place sur la terre (Atenção à direita)
19h30 Hélas pour moi (Infelizmente para mim)
21h10 Armide
21h10 Le dernier mot / Les Français entendus par (A última palavra)
21h10 Allemagne neuf zéro (Alemanha nove zero)

>> 26 de novembro – quinta-feira
17h45 King Lear (Rei Lear)
19h30 Nouvelle Vague
21h15 De l’origine du XXIe siècle (Da origem do século XXI)
21h15 The old place (O velho lugar)
21h15 Liberté et patrie (Liberdade e pátria)

>> 27 de novembro – sexta-feira
17h Une bonne à tout faire (Uma empregada que faz tudo)
17h Prière pour refusniks (Prece para refusniks)
17h Reportage amateur (Maquette expo) (Reportagem amadora [Maquete da exposição])
18h30 Sauve qui peut (la vie) [Salve-se quem puder (a vida)]
20h30 Palestra com Michael Witt

>> 28 de novembro – sábado
17h Une catastrophe (Uma catástrofe)
17h C’était quand / Il y avait quoi (hommage à Éric Rohmer) Era quando / Havia o que(homenagem a Éric Rohmer))
17h Khan Kahnne
17h Prix suisse, remerciements, mort ou vif (Prêmio Suíço, agradecimentos, morto ou vivo)
17h Vrai faux passeport (Passaporte verdadeiramente falso)
19h Le pont des Soupirs (A ponte dos suspiros)
19h Notre Musique (Nossa música)
21h Plus OH! (Mais Oh!)
21h Éloge de l’amour (Elogio ao amor)

>> 29 de novembro – domingo
17h Film Socialisme (Filme socialismo)
19h Les trois desastres (Os três desastres)
19h Adieu au langage (Adeus à linguagem)
21h Notre Musique (Nossa música)

>> 30 de novembro – segunda-feira
17h Éloge de l’amour (Elogio ao amor)
19h Adieu au langage (Adeus à linguagem)
20h30 Le Mépris (O Desprezo)

Veja as sinopses no site do CCBB 😉

Cola lá!
Retrospectiva de Jean-Luc Godard
Centro Cultural Banco do Brasil
Até 30/11
R$ 4 (inteira) / R$ 2 (meia)

balanço do fica 2014 | goiás

♫ Gal Costa | Neguinho

A organização do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) divulgou que o público deste ano foi de 130 mil pessoas, 50 mil a menos do que em 2013. Provavelmente consequência da pouca publicidade que fizeram para esta edição. Nenhuma decisão foi tão certa quanto essa. A maioria dos turistas que foram para Goiás estava realmente interessada na programação do festival, nos filmes exibidos, nas oficinas e debates ambientais, nas discussões sobre cinema. A cidade estava movimentada, mas só de gente que estava ali para aprender alguma coisa. De todas as edições do Fica, acho que esta foi a melhor de todas. Nunca fui para a Feira Literária de Paraty, mas andando pelas ruas de Goiás, fiquei pensando que o clima da Flip deveria ser algo bem parecido com aquele que eu estava vivendo.

Quanto convidados legais! Quantos debates enriquecedores! Acho que todo ano deveria ser assim. Aliás, defendo que o festival invista menos nas atrações musicais e mais nos convidados palestrantes. Se é para ter show, que sejam shows menores, menos mainstream, shows do tamanho da cidade. Se fazem muita questão de uma grande atração musical, que seja escalada para apenas um dia, para o encerramento do evento, talvez. Goiás tem poucos habitantes, é uma cidade tombada historicamente; não comporta a quantidade exorbitante de pessoas que vão para lá só para badalar, ver show, e ficar passeando DE CARRO pelas ruas de pedra com o som nas alturas. É muita poluição ao mesmo tempo.

O Fica 2014 está de parabéns! Adorei ter ido este ano e visto que o festival está amadurecendo. Adorei ver a própria comunidade vilaboense tão inserida na programação (antes o evento era tão alheio aos moradores da cidade), com apresentações, rodas de samba, procissões… É assim que um festival que se propõe ambiental deve ser. Tomara que o ano que vem seja do mesmo jeito – ou melhor.

P.S.: Também adorei a árvore que mede a qualidade do ar e sorri quando está limpo! Que fofura ❤

balanço1

balanço2

DSC02099

balanço4

balanço3

DSC02133