Feriado, celebração (ou: Mapa do tesouro)

♫ Mayra Andrade | Comme s’il en pleuvait

Quando vivemos em uma cidade, nosso corpo se acostuma a ser acostumado. Não temos o brilho nos olhos nem a empolgação de turistas, trocamos passeios nos dias de folga por séries do Netflix, não celebramos mais os pequenos tesourinhos que as ruas podem esconder, não acordamos cedo para aproveitar melhor o dia. A inércia é forte, mas às vezes a felicidade consiste justamente em sacudir esse marasmo e se propor à novidade (mesmo que a novidade não seja tão nova assim, mesmo que seja só um detalhe que estava de escanteio).

Quer dar uma curtida na cidade? Pergunte-me como 😉 Quem me acompanha por aqui sabe que uma das minhas coisas preferidas é sair por aí com olhar de turista sobre minha própria cidade. Incrível como um passeio simples pode melhorar a vida. No último feriado, fiz um roteiro que gostei demais e compartilho aqui com você. Depois me contaria o que achou?

❤ Ponto de partida: almoço no restaurante Naturetto da 405 Norte – Sou dessas que, se tivesse demorado mais meio-minuto para nascer, nasceria hippie. Como gosto de coisas naturebas e um mato. Sou carnívora convicta, mas me chama pra um almoço vegetariano e vou feliz e saltitante, me sentindo uma pessoa melhor no mundo. Antes que outras carnívoras também torçam o nariz para essa minha sugestão, logo digo que o Naturetto serve peixes assados deliciosos, então não é de todo vegetariano. As opções de salada são incríveis e ainda tem uma torta de banana assada que vale cada centavo. Acredite em mim: você vai se sentir muito bem depois que as vitaminas do broto de alfafa fizerem efeito no corpo, rs. Além disso, o ambiente todo arborizado e com mesas de madeira também já te deslocam para uma mini-viagem campestre.

❤ Próximo passo: sobremesa na sorveteria Sorbê, ao lado do Naturetto. Amiga, tem sorvete de pitanga e o melhor pistache que já provei. Sem mais argumentos.

Caminhada até a UnB: outro ponto positivo de comer em restaurante natureba é que, não importa o quanto você se empanturre, uma tonelada de folha de mostarda não se equivale a um quilo de torresmo, então você vai se sentir ainda disposta a se movimentar por aí. Depois da comida gostosa, desça reto em direção à UnB. Como eu gosto de campus universitário! Só de ver os prédios já me anima, me sinto mais inteligente. Vá para lá em direção ao Instituto de Artes (Ida), veja os azulejos exclusivos do Athos Bulcão, veja as pichações militantes, respire um pouco de juventude e progressismo e espere a van gratuita para o CCBB. Se você estiver na mesma pilha que eu estava, poderia considerar levar uma garrafa de vinho branco gelada na bolsa para ir bebendo neste trajeto. Ficar sentada na frente do Ida esperando a van do CCBB e bebendo vinho… poderia ser um passeio em Paris, não fosse o sol de 40 graus.

Van gratuita para o CCBB: vamo repetir? É gratuita! Não tem desculpa nenhuma para não ir pro CCBB. Você pode conferir os horários da van aqui.

CCBB: mais conhecido como Parque de Diversões das Cult. Lá tem de tudo: exposição de arte, teatro, mostras de cinema, café, gramado, vista linda para a ponte JK, vista linda para o pôr-do-sol, museu do Banco do Brasil… E a maior parte dessas coisas é de graça. Fala sério. Dê uma olhadinha na programação aqui e aproveite. Às vezes até rola meditação na lua cheia, shows e outros eventos especiais.

❤ Volta do CCBB na van gratuita: parada no Teatro Nacional.

❤ Depois de parar perto da Rodoviária, caminhe até ela e encerre seu dia com o pastel mais gostoso de Brasília: Pastelaria Viçosa. Peça um caldo de cana gelado também 😉 E não se esqueça de dar aquela namorada básica na vista para a Esplanada.